IDENTIFICAÇÃO DE BACTÉRIAS MULTIRESISTENTES COLONIZANTES EM SUPERFÍCIES E NAS MÃOS DE EQUIPE HOSPITALAR, NO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA -RS

Ligia Maria Bueno Verdiani

Resumo


As bactérias resistentes podem estar inseridas no ambiente hospitalar e funcionam como indicador de qualidade dentro do serviço de saúde, uma vez que a transição facilitada dessas bactérias pelas superfícies e mãos dos profissionais contribui para uma disseminação nos hospitais, atingindo pacientes que se encontram com baixa imunidade, levando por sua vez, a uma infecção por transmissão cruzada. Esta pesquisa aborda três (3) tipos de micro-organismos: Staphylococcus aureus resistente à meticilina (MRSA), KPC e Pseudomonas resistente à carbapenêmicos, e tem por objetivo avaliar a microbiota normal das mãos de profissionais da saúde e superfícies inanimadas além dos principais mecanismos de resistência bacteriana, de um hospital 100% SUS. As amostras foram coletadas e incubadas em caldo BHI (brain heart infusion) - suplementado com discos de Meropenem (10µg) e Cefoxitina (30µg) - a 37ºC por 24h. Após a incubação, as amostras foram cultivadas em ágar Sal Manitol e ágar MacConkey. No total foram coletadas 124 swabs, sendo encontrado S. aureus resistente à oxacilina (MRSA), Pseudomonas flurescencens e Enterobacteria sendo constatada uma incidência de 25% com multirresistência. A avaliação desses mecanismos de resistência é uma ferramenta importante que auxilia nas medidas de conscientização, a fim de minimizar a transmissão cruzada entre profissionais e pacientes, por meio das mãos e superfícies inanimadas.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons

This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial 3.0 Brasil License

Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo