Impacto da implantação da Estratégia Multimodal para Melhoria da Higiene das Mãos da OMS em um Hospital Pediátrico

Aldaiza Marcos Ribeiro

Resumo


A segurança do paciente tem recebido atenção especial pela OMS que lançou em 2004 o programa “Aliança Mundial para a Segurança do Paciente” para reduzir as Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde (IRAS), através da Estratégia Multimodal para Melhoria da HM (EMMHM). Após a implantação da estratégia se faz necessária a avaliação do seu impacto. Objetivo: Avaliar o impacto da EMMHM em três UTI de um hospital pediátrico. Métodos: Estudo de coorte retrospectiva realizado com dados da CCIH. Foram analisadas taxas de adesão à HM das três UTI, consolidadas por cada ano, correlacionando-as com as densidades anuais de IRAS construídas ao longo do período. Resultados: Antes da implantação a média de adesão a HM foi de 43,7% passando para 58,4% (p<0,001) logo em seguida. A UTI 1 aumentou a adesão de 42,6% para 60% (p<0,001), os técnicos de enfermagem passaram de 35,5% para 56,1% de adesão (p<0,001). Dos cinco momentos, o de maior conformidade foi “depois de contato com o paciente”. O uso do álcool em gel, passou de 8% para 62%, após implantação. No período de consolidação houve um aumento progressivo e sustentado da adesão à HM com diminuição das densidades das IRAS. Se conclui que o impacto foi positivo, devendo- se manter todos os esforços para a continuidade da EMMHM em todo o hospital.

Palavras-chave: Infecção hospitalar; Higiene das Mãos; Organização Mundial da Saúde; Segurança do Paciente.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons

This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial 3.0 Brasil License

Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo