Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde em neonatos com peso menor que 1500g: etiologia, fatores de risco e formas de prevenção

Gabriel Lopes Vieira da Silva, Helena Maria Dias Xavier, Denise Von Dolinger de Brito Röder

Resumo


Justificativa: Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde (IRAS) em neonatos de peso <1500g tem apresentado taxas altas de morbimortalidade em UTI neonatais. Objetivos: O objetivo foi sintetizar informações sobre as IRAS que acometem neonatos críticos, evidenciando fatores de risco, quais agentes etiológicos, síndromes infecciosas frequentes e controle destas. Conteúdo: Foram pesquisados artigos com os descritores: Recém-nascido de muito baixo peso, mortalidade, fatores de risco, nas bases de dados e bibliotecas virtuais: Scielo, Google scholar, Pubmed, Science direct, Web of Science e Brazilian database Periódico Capes, nos últimos 5 anos. No total, foram encontrados 28.222 artigos, após critérios de exclusão 29 foram utilizados para compor a revisão. Entre os fatores de risco relevantes destacam-se a prematuridade e o uso de dispositivos invasivos.  Síndrome infecciosa prevalente foi infecção de corrente sanguínea e agentes etiológicos mais frequentemente detectados foram Staphylococcus aureus, Staphylococcus coagulase-negativa, Escherichia coli, Klebsiella spp. e Candida spp. Conclusão: Práticas como  incentivo ao aleitamento materno, redução do tempo de uso de dispositivos invasivos, rigor na prática de higienização das mãos e desinfecção do ambiente hospitalar mostram se efetivas para o controle das IRAS em neonatos críticos.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons

This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial 3.0 Brasil License

Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo