Soroprevalência da infecção pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) em doadores de sangue no estado de Sergipe, nordeste do Brasil

Rafael de Souza Aguiar, Ester Bencz, Vanessa Oliveira Amorim, Cibele Macedo Santos, Íkaro Daniel de Carvalho Barreto, Edivan Rodrigo de Paula Ramos, MARCO AURÉLIO DE OLIVEIRA GÓES

Resumo


Justificativa e objetivos: A prevenção da infecção pelo HIV ainda é um grande desafio. O sangue infectado é uma via de transmissão altamente eficaz, sendo fundamental diminuir o risco nas transfusões sanguíneas. O estudo tem objetivo de analisar a soroprevalência do HIV em doadores de sangue residentes no estado de Sergipe. Métodos: Estudo epidemiológico, observacional, retrospectivo relativo às doações realizadas no Centro de Hemoterapia de Sergipe (HEMOSE), entre 2007-2018. A análise estatística foi realizada pelo programa R core team 2018. Resultados: Foram analisadas 303.589 doações, com soroprevalência para HIV de 0,82%. As maiores taxas de inaptidão sorológica pelo HIV (0,85%) quando comparado aos outros tipos de doador (p<0,05%) foi verificado em doadores de repetição. Entre os HIV positivos foi observado maior soroprevalência para hepatite B, Hepatite C, sífilis, HTLV 1/2 em relação. Discussão: A identificação da infecção pelo HIV entre doadores de sangue, traz importante contribuição para o conhecimento do comportamento da epidemia. Apesar da atual tendência atual decrescente entre doadores, é importante avaliar outras populações além das dos doadores de sangue, pois os critérios de seleção de doadores influenciam na positividade das amostras.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons

This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial 3.0 Brasil License

Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo