Estratégias para prevenção e controle das infecções cirúrgicas: da história à atualidade

Eliane Carlosso Krummenauer, Rochele Mosmann de Menezes, Jane Dagmar Pollo Renner

Resumo


RESUMO

Justificativa: Os procedimentos cirúrgicos, quando indicados, têm a intenção de salvar vidas, mas a falta de segurança em relação à alguns riscos não controlados, podem causar danos aos usuários como infecções, incapacidades e morte. Diante destes graves eventos impostos aos pacientes que desenvolveram Infecções de sítio cirúrgico (ISC), destaca-se a necessidade de esforços para implementar estratégias de prevenção. Objetivos: Analisar o cenário de risco à infecções de sítio cirúrgico e discutir estratégias para aprimorar o atendimento, a fim de minimizar riscos e garantir um serviço de saúde com qualidade e seguro. Conteúdo: Os fatores de risco pra ISC podem ser decorrentes do paciente ou do procedimento e estes necessitam de ajustes para garantir a segurança. A contaminação da ferida e outros fatores como o preparo da pele podem aumentar o risco de infecção. Existem vários antissépticos para reduzir a carga microbiana da pele, no local da incisão. Algumas recomendações referenciam a utilização de adesivos impregnados com iodóforos para reduzir o número de microrganismos no leito cirúrgico e evitar infecções. Conclusão: A identificação dos fatores de risco associados, a implementação de estratégias de prevenção e controle, e a relação custo-benefício, pode apoiar as ações dos profissionais na redução de frequência de eventos infecciosos relacionados à cirurgias e redução das complicações do sítio cirúrgico.

 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons

This work is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial 3.0 Brasil License

Disponibilidade para depósito: permite o depósito das versões pré-print e pós-print de um artigo